Conheça o Cartão SUS em outros Países

Conheça o Cartão SUS em outros Países
5 (100%) 1 voto

SUS em outros países

Você irá ver aqui como é o SUS em outros países, entre os locais estão: Reino Unido, Canadá, França, Suécia e Austrália.

Publicidade:

Não são muitos os países que oferecem sistema de saúde pública aos seus habitantes. Mas, os que oferecem, acabam disponibilizando um serviço de destaque. 

Ainda não tem o seu, aprenda a Fazer o Seu Cartão SUS!

Cartão SUS em outros Países

Segundo dados de 2014, o Brasil investiu 6,7% da sua receita em saúde. Enquanto no SUS em outros países, já citados acima, ficaram entre 14,9% e 27,9%.

Dessa forma, podemos já ter ideia da grande diferença de serviço que é oferecido lá, devido ao que enfrentamos aqui.

Publicidade:

Por conta do baixo investimento, enfrentamos um setor médico público de baixa qualidade, com falhas e demora no atendimento, poucos recursos, entre outros.

Essa realidade faz com que a maioria da população ainda opte por pagar ao acesso a saúde. Pois já existem dados que comprovam que mais de 50% da população usa serviços pagos de saúde.

Veja Aqui Tudo Sobre o Cartão SUS

Veremos a seguir o SUS em outros países, e como a realidade deles é bem diferente da nossa.

Sistema de Saúde Pública no Reino Unido

O setor de saúde pública do Reino Unido se chama National Health System (NHS). Foi esta forma que serviu de inspiração à criação do SUS no Brasil. Ele é gratuito e financiado pelos impostos cobrados da população.

Durante todo o país são encontrados hospitais e clínicas que podem ser utilizadas gratuitamente.

O sistema conta com locais semelhantes aos postos de saúde no Brasil.

Contém um clínico geral que atende os pacientes e encaminha para os profissionais especializados, dependendo de cada caso.

Além disso, existem locais de atendimento 24 horas que lidam com as emergências, e também, hospitais e lugares que fornecem mais que apenas atendimento emergencial, mas não é necessário o agendamento da consulta.

NHS

Para poder ter acesso ao serviço, o cidadão residente no Reino Unido precisa fazer um cadastro que é uma consulta com um clínico geral.

Lá, existem alguns serviços que são cobrados como oftalmologia, odontologia e alguns remédios.

O setor vem sofrendo alguns problemas nos últimos anos por cortes de verba. Mas mesmo assim, 60% da população ainda se considera satisfeita com o que é oferecido, segundo uma pesquisa realizada no país.

Existem também sistemas privados de saúde, mas são pouco utilizados e não possuem todos os atendimentos que o público oferece.

Como Funciona o SUS do Canadá

No Canadá, todo o sistema público de saúde é financiado pelo estado, ninguém precisa pagar pelos atendimentos recebidos e qualquer pessoa pode ter acesso.

SUS no Canadá

 

Porém, lá não existem hospitais ou clínicas públicas. Os locais onde as pessoas podem ser atendidas gratuitamente são os mesmos locais privados.

Esses últimos, só existem com a finalidade de cobrir serviços que o governo não oferece, como oftalmologia, odontologia, atendimento médico em casa ou quartos privados em hospitais.

Em geral, o atendimento lá é considerado de qualidade, com tecnologia de ponta.

A única reclamação da população é pela demora, pois muitas vezes existem filas para marcar atendimentos e consultas. Porém, não se compara as filas de espera encontradas no Brasil.

Como Funciona o SUS na Austrália

O programa público de saúde da Austrália é chamado de Medicare e oferece atendimento gratuito a todos os cidadãos.

O Governo é o responsável por regulamentar e financiar o sistema por meio da arrecadação de impostos da população. Já os governos estaduais são responsáveis por administrar os locais de saúde e os profissionais que trabalham nele.

SUS em Outros países

Também contam com sistemas privados de saúde, mas que existem basicamente para complementar o que é oferecido pelo público.

Esse sistema é considerado um dos melhores do mundo e ainda custeia o valor dos medicamentos que os pacientes precisam.

Único fator que pode ser negativo é que os pacientes não podem escolher por quais profissionais serão atendidos e podem precisar esperar para fazer procedimentos eletivos em hospitais.

Esse sistema não cobre procedimentos considerados desnecessários pelo país, como os estéticos, assim como não cobre também serviços de ambulância, odontologia e fisioterapia.

Para esses serviços, algumas pessoas contratam os planos de saúde privados.

Como Funciona o SUS na França

Na França existe o chamado Seguro Obrigatório de Saúde.

Ele funciona da seguinte forma: todos os moradores contribuem com um valor mensal que é descontado de seus salários automaticamente.

Quem não tem condições e vive em situação de vulnerabilidade, não precisa contribuir e tem acesso sem o pagamento.

Med. França

Os moradores podem escolher os locais que serão atendidos e os profissionais também. Além disso, existem sistemas privados de saúde também que existem juntamente com o público, dessa forma cada morador pode escolher em qual ser atendido sem custo.

 

Esse é um dos únicos sistemas que cobre também a odontologia e todos os medicamentos.

Todavia, em alguns serviços específicos, é necessário pagar uma taxa de no máximo 25% do valor total. Assim como os outros, o sistema privado existe para cobrir serviços que o público não oferece.

Como Funciona o SUS na Suécia

Na Suécia, o sistema público de saúde é universal. Assim, todos os residentes tem acesso e ele inclui quase todos os serviços.

Dentre os serviços disponíveis estão remédios, atendimentos em casa para idosos, atendimento psiquiátrico, oftalmologia e odontologia.

SUS na Suécia

 

O sistema é principalmente pago por impostos, na maior parte dos valores necessitados. Porém, nesse sistema, o morador paga uma pequena parcela para ser atendido.

Basicamente, funciona da mesma forma que os sistemas privados de saúde no Brasil, pois cidadão paga, por exemplo, 20 reais para uma consulta.

Além disso, alguns grupos podem utilizar o serviço completamente de graça, entre eles: grávidas, menores de 18 anos e idosos. Mas essa regra varia de região para região.

No sistema, os procedimentos têm prazos para serem realizados, o que agilizar todo o processo. Por exemplo, consultas com clínico geral precisa ocorrer em no máximo 70 dias e com especialistas, no máximo, 90 dias.

No geral, o sistema público de saúde da Suécia é responsabilidade do Governo Federal. Mas são os estados  que precisam administrar e manter a qualidade dos serviços prestados a população.